Porque as Baterias Morrem?

Porque as Baterias Morrem?

A causa predominante para o mau funcionamento de baterias de chumbo-ácido é a sulfatação. Estima-se que para cada dez baterias descartadas, pelo menos oito são descartadas devido a sulfatação. É por isso que nós queremos explicar aqui o que é sulfatação e como nosso processo funciona no interior das baterias para evitar este fenômeno e garantir a performance ideal das baterias.

Sulfatação é uma ocorrência natural em todas as baterias de chumbo-ácido, sendo a causa número 1 de falhas neste tipo de bateria. Sulfatação ocorre quando o enxofre na forma de ácido sulfúrico forma cristais que se ligam às placas de chumbo, funcionando como isolantes no processo de carga das baterias. Não existem dúvidas que o processo de sulfatação é destrutivo à vida útil das baterias de chumbo-ácido.

A cada ciclo de carga e descarga, uma certa quantidade de sulfato de chumbo (sulfatação) impreguina as paredes porosas das placas metálicas da bateria. Estes sulfatos tornam-se cristais que obstruem as paredes das placas, ocorrendo um aumento da resistência interna da bateria que inibe a acumulação de eletricidade. Esta é a principal razão para que baterias de chumbo-ácido morram prematuramente, pois se tornam incapazes de reter e descarregar a eletricidade.

Dez fatores mais comuns que aumentam o processo de Sulfatação

Deixar a bateria descarregada por um longo período.
Deixar que a bateria permaneça inativa durante 24 horas ou mais.
Adição em excesso de ácido sulfúrico e eletrólito, promovendo a acumulação de cristais isolantes (sulfatação) .
Sobrecarga freqüente e excessiva sessões de descarga.
Interrupção das sessões de carga, causando o acúmulo de sulfatação aguda.
Ineficientes carregadores de bateria que causam o acúmulo de sulfatação crônica.
A adição de água destilada em momento inoportuno.
O carregamento insuficiente, causando acúmulo de sulfatação nas placas não ativada pela sessão de carga.
Falta de eletrólito que expõe as placas ao ar criando sulfatação de imediato.
Altas temperaturas aceleram a acumulação de sulfatação.
Dez efeitos e sintomas causados pela Sulfatação

Sulfatação cobre as paredes porosas das placas inibindo a carga completa da bateria.
Falha mecânica, devido a expansão das placas.
Aumento do tempo de carga, devido a dificuldade de produção interna de enrgia.
Redução da performance das baterias
Diminuição da densidade do eletrólito devido à perda de ácido sulfúrico.
Aumento da temperatura, aumenta o tempo de arrefecimento.
Corrosão acelerada das placas.
Aumento do risco de explosão da bateria.
Morte prematura da bateria.
Mal funcionamento dos equipamentos que utlizam as baterias sulfatadas.
Efeitos da falha de baterias do ponto de vista gerencial

Aumento dos custos operacionais devido à substituição frequente das baterias,
Aumento do consumo de energia elétrica e maior necessidade de manutenção dos equipamentos.
Aumento do tempo de inatividade para pessoas e equipamentos.
Diminuição da produtividade devido ao período de carregamento elevado e redução do tempo de serviço das baterias carregadas.
Orçamento de investimento impactado pelo aumento nos custos operacionais.
Aumento da poluição ambiental.

História da bateria

História da bateria

Acumulador de Chumbo, também conhecido como bateria chumbo-ácida, foi inventado pelo francês Gaston Planté em 1859. É uma associação de pilhas (chamadas de elementos, na linguagem da indústria de baterias) ligadas em série

O que e uma bateria

A tensão elétrica de cada célula é de aproximadamente 2 volts. Uma bateria de pilhas, que é a mais comum nos carros modernos, fornece uma tensão elétrica de 12V. Associações ainda menores são usadas em tratores, aviões e em instalações fixas, como centrais telefônicas e aparelhos de PABX.

A bateria de chumbo-ácido é constituída de dois eletrodos; um de chumbo esponjoso e o outro de dióxido de chumbo em pó, ambos mergulhados em uma solução de ácido sulfúrico com densidade aproximada de 1,28g/mL dentro de uma malha de liga chumbo-antimônio. Esta liga é mais resistente à corrosão que o chumbo puro.

Quando o circuito externo é fechado, conectando eletricamente os terminais, a bateria entra em funcionamento (descarga), ocorrendo a semi-reação de oxidação no chumbo e a de redução no dióxido de chumbo

Manuseio das Baterias

Manuseio das Baterias

Baterias de chumbo acido, e uma solução de ácido sulfurico e água que pode destruir a roupa e queimar a pele. Tenha muito cuidado ao manusear eletrólitos e mantenha produtos neutralizante de ácido e bicarbonato de sódio sempre a mão para serem utilizados em casos de emergência. Equipamentos de segurança devem ser SEMPRE utilizados, nunca se esqueça de proteger olhos, mãos e rosto, alem de roupa resistente a este tipo de produto.

Caso o eletrólito entrar em contato com os olhos, imediatamente forçar os olhos abertos e enxagua-los com água limpa e fresca durante pelo menos 15 minutos e procure assistência médica imediata.

Caso ocorra ingestão do eletrólito, beber grandes quantidades de água ou leite, não induzir o vômito. Procure um médico imediatamente

Em caso de derramamentos, cobrir o local afetado com bicarbonato de sódio e esperar até ser neutralizado. Uma vez neutralizados lave com água limpa e seque a área.

Coloque em óculos de proteção, luvas de borracha e roupas de trabalho. Remover todas as jóias, não usar anéis, relógios, pulseiras etc.
• Não permita fumar no local das bateria, nem chamas ou faíscas próximo.
• Evite ligar os cabos da bateria positivo e negativo a polaridade invertida.
• Nunca bata um terminal de bateria ou cabo com um martelo ou uma chave para soltar a conexão. Isto pode soltar o terminal e destruir a bateria